A percentagem de portugueses que recorre a créditos ou cartões de crédito aumentou 10%, no último ano, segundo o estudo mais recente da Cetelem sobre literacia financeira.

Neste momento, 44% dos consumidores possuem créditos ou cartões de crédito, que podem criar mais facilmente uma ilusão de que têm dinheiro que, não, possuem.

A análise do estudo revela que as finalidades são variadas. A liderar este top estão os créditos à habitação, com 33% dos portugueses, e o crédito automóvel, com uma percentagem de 20%. Dos créditos detidos pelos consumidores, apenas 2% são dedicados à saúde.

Da percentagem de pessoas que assumem recorrer ao crédito, apenas 4% referem que estes têm um peso superior a metade do orçamento familiar. A maior parte destes (26%) assume que os créditos têm um peso de entre 25% a 50% do seu orçamento.

Estudo sobre Literacia Financeira da Cetelem

Deco também tem dados sobre a espiral do endividamento. As famílias que recorrem à proteção financeira da Associação de Defesa do Consumidor da recebem, em média,1.070 euros mensais e gastam dois terços desse dinheiro (67% para sermos mais exatos) em créditos.

Voltando ao estudo da Cetelem, segundo a diretora de Compliance e Jurídico desta entidade dedicada ao financiamento de particulares, estes números representam a melhoria das condições de vida dos portugueses.

O aumento dos créditos destinados a habitação ou automóvel, bens que a maioria das pessoas só consegue adquirir recorrendo a um empréstimo, significa que os consumidores se encontram novamente numa posição em que podem regressar ao mercado de compra deste tipo de produtos”, afirma Leonor Santos.