A EDP fechou 2018 com lucros de 519 milhões de euros, um recuo de 53% face aos 1.113 milhões de euros em 2017, o que é atribuído a medidas regulatórias adversas, divulgou hoje a elétrica liderada por António Mexia.

Em comunicado ao mercado, a EDP explica que estes resultados foram influenciados pelo impacto adverso de medidas regulatórias em Portugal, nomeadamente relacionadas com a provisão de 285 milhões de euros reclamados pelo Estado por alegada sobrecompensação dos Custos de Manutenção do Equilíbrio Contratual (CMEC).

Além disso, refere a elétrica, em 2017, a empresa tinha beneficiado de um ganho extraordinário com a venda do negócio de distribuição de gás em Espanha, no valor de cerca de 591 milhões de euros.

Os resultados antes de juros, impostos, depreciação e amortização (EBITDA) atingiram os 3.287 milhões de euros em 2018, o que representa um recuo de 3% em termos homólogos.

Em 2018, a dívida líquida da EDP diminuiu 3% para 13.500 milhões de euros, o correspondente a 400 milhões de euros.