O secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, António Mendonça Mendes, disse esta sexta-feira no Parlamento que a atualização dos escalões do IRS em 2019 “não faz sentido”, destacando que a mexida apenas teria efeito nos rendimentos mais elevados.

Segundo o governante, que falava na audição no âmbito da apreciação na especialidade da proposta de Orçamento do Estado para 2019 (OE2019), a atualização dos escalões de IRS "não é nada que mude a vida de ninguém, e só tem efeito nos escalões mais elevados".

O secretário de Estado respondia, assim, ao deputado do PCP Paulo Sá, que questionou o Governo depois de o partido ter apresentado uma proposta para atualizar os escalões do IRS conforme a inflação (1,3%).

Na resposta, Mendonça Mendes lembrou que o aumento dos escalões do IRS de cinco para sete terá impacto em 2019, defendendo que a proposta do PCP tem apenas “efeitos marginais”.

O que conseguimos é uma grande alteração de escalões que devemos preservar”, disse o secretário de Estado, acrescentando que “em situações normais” justifica-se a atualização dos escalões, mas neste momento não.