Se ainda tem notas de escudos em casa, fixe esta data: 28 de fevereiro de 2022. É o último dia que tem para trocá-las para euros. A partir daí, perdem a validade. Vinte anos depois da chegada do euro a Portugal, a larga maioria das notas de escudos não chegou ao Banco de Portugal.

A 28 de fevereiro de 2002, quando os escudos deixaram de ser aceites em pagamentos no País, existiam 15,1 milhões de notas da série Descobrimentos por devolver. Hoje, segundo o banco central, ainda há 11,4 milhões guardadas pelos portugueses.

Ao todo, estas notas antigas valem 95 milhões de euros. E há uma preferida entre as notas guardadas: uma em cada três é de cinco mil escudos, o equivalente a quase 25 euros nos dias de hoje.

Para esta última oportunidade de troca, apenas são aceites notas da série emitida a partir de 1996, alusivas às comemorações do quinto centenário dos Descobrimentos.

O euro entrou em Portugal a 1 de janeiro de 2002. Os portugueses tiveram depois um período de dois meses de transição para a moeda única.

Onde posso trocar as notas?

Pode fazê-lo numa das tesourarias do Banco de Portugal, em Lisboa, Porto, Braga, Coimbra, Évora, Faro, Viseu, Ponta Delgada e Funchal. Se não conseguir deslocar-se a uma destas delegações até à data limite, pode também enviar por correio. Neste caso, há regras que têm de ser cumpridas: as notas devem ser inseridas dentro de um envelope, com a indicação de que contém numerário. Este envelope deve seguir dentro de um outro, com dados como nome, número de identificação ou IBAN.

Quanto vale cada nota?

Apesar de terem passado 20 anos, as notas de escudos não perderam valor. Nesta derradeira troca, vai aplicar-se a taxa de câmbio de quando a moeda comunitária entrou no País: um euro vale 200,482 escudos.

10 000 escudos = 49,88 euros (Infante D. Henrique)
5 000 escudos = 24,94 euros (Vasco da Gama)
2 000 escudos = 9,98 euros (Bartolomeu Dias)
1 000 escudos = 4,99 euros (Pedro Álvares Cabral)
500 escudos = 2,49 euros (João de Barros)

As notas têm de estar inteiras?

Além das notas inteiras, pode entregar notas incompletas ou danificadas. Caso tenha diferentes fragmentos, estes devem poder formar uma nota completa quando juntos. Se a nota estiver incompleta, deve ter pelo menos 75% do total.

Redação / WL