O euro subiu para um máximo de seis meses face ao dólar na sequência da vitória de Emmanuel Macron nas eleições francesas, mas a vantagem para a moeda única poderá ser de curta duração, alertaram os analistas.

Na negociação asiática esta segunda-feira, madrugada na Europa, o euro subiu até aos 1,1024 dólares, valor mais elevado desde 9 de novembro, e também saltou para um máximo de um ano contra o homólogo japonês, nos 124,58 ienes. Mas acabou por cair quase 0,3% para 1,096 dólares e perdeu um valor semelhante em relação ao iene, com os investidores a verificarem que parte dos ganhos já haviam sido incorporados após a vitória de Macron na primeira ronda das presidenciais há duas semanas.

Evolução do euro face ao dólar

 

"O mercado já tem preço da vitória de Macron incorporado", disse Masafumi Yamamoto, especialista em câmbios da Mizuho Securities em Tóquio, citado pelo The Guardian.

Vimos alguma valorização adicional do euro esta manhã, mas considerando a dificuldade, para o partido de Macron, de obter a maioria nas eleições legislativas, não devemos esperar uma subida muito elevada".

Uma posição partilhada por outros especialistas do mercado que reconhecem os desafios que o ex-banqueiro, de 39 anos, tem pela frente. Ele que, apesar de se dizer independente, foi ministro da economia do presidente cessante, François Hollande, e não conseguiu romper contra o sistema e cumprir a prometida reforma das rígidas leis laborais franceses - há muito vistas pelos economistas pró-mercado como um obstáculo ao crescimento.

Os analistas do BlackRock, também citados pelo The Guardian, referiram, numa nota de research esta segunda-feira, esperar que: "o foco mude para as eleições legislativas francesas em junho. Elas serão cruciais para determinar a capacidade de Macron de implementar seu programa económico, que inclui reformas no mercado de trabalho que tornariam mais fácil para as empresas francesas contratar e demitir”.

No mercado de ações, o CAC40 em Paris subiu fortemente junto com o Dax na Alemanha. Em Londres, o FTSE100 aumentou aproximadamente 0.4% na abertura. As ações também foram impulsionadas pelo aumento dos preços do petróleo após comentários do governo saudita, indicando que os cortes na produção continuarão no segundo semestre do ano.

/ ALM