A chanceler alemã, Angela Merkel, disse esta segunda-feira na abertura da CeBIT, a maior feira de tecnologia do mundo, que a confiança e a solidariedade são as bases para que os países vençam à crise económica.

Merkel comentava críticas que têm sido feitas pela presidente brasileira Dilma Rousseff, também presente na abertura da feira, sobre a «política monetária expansionista» dos países desenvolvidos, que injetam dinheiro no mercado internacional, desvalorizam moedas e prejudicam as economias em desenvolvimento.

«A presidente Dilma Rousseff manifestou sua preocupação com o tsunami monetário, e a preocupação que tem quando olha para os Estados Unidos e para a Europa. Mas nós também reparamos nas medidas protecionistas, e achamos que a confiança deve ser a nossa base para sair da crise», afirmou a chanceler alemã.

«Devemos criar mecanismos de solidariedade que darão a cada parte a solução de seus problemas», defendeu Merkel.

As duas chefes de governo têm previsto um encontro bilateral ainda hoje, em que será discutida a questão das políticas monetárias dos países e da União Europeia em relação à crise económica mundial.

Rousseff discursou antes de Merkel na abertura da CeBIT e elogiou a parceria entre Brasil e Alemanha na área da tecnologia, ao dizer que a união da «qualidade alemã» com a «flexibilidade brasileira» é produtiva.
Redação / CPS