A economia da zona euro recuou 6,8% em 2020 e a da União Europeia (UE) abrandou 6,4%, tendo a taxa de emprego aumentado em ambas, segundo uma estimativa rápida avançada esta terça-feira pelo Eurostat, com base em dados trimestrais corrigidos de sazonalidade e de calendário.

O gabinete estatístico da UE estima ainda que o crescimento do emprego em 2020 tenha sido de 1,8% na zona euro e de 1,6% na UE, com base em dados trimestrais.

No quarto trimestre de 2020, o PIB contraiu 5,0% na zona euro e 4,8% na UE, face ao período homólogo.

Já face ao trimestre anterior, entre outubro e dezembro de 2020, PIB da zona euro recuou 0,6% e o da UE 0,4%.

Estas quedas em cadeia seguem-se à forte recuperação no terceiro trimestre de 2020 (12,4% na zona euro e 11,5% na UE) e às maiores quedas desde o início da série temporal, em 1995, no segundo trimestre de 2020 (-11,7% na zona euro e -11,4% na UE).

No quarto trimestre de 2020, a economia portuguesa contraiu 5,9% face ao período homólogo e aumentou 0,4% na variação trimestral.

No que se refere à taxa de emprego, esta caiu 2,0% na zona euro e 1,7% na UE no quarto trimestre de 2020, em comparação com o período homólogo.

Face ao trimestre anterior, o número de pessoas empregadas cresceu 0,3% tanto na área do euro como na UE.

O Eurostat não indica dados por Estado-membro para este indicador.

/ MJC