Portugal tinha, em 2018, 15% de trabalhadores por conta própria, uma média superior à da União Europeia (14%), divulga hoje o Eurostat.

A Grécia, segundo o gabinete estatístico europeu, foi o Estado-membro que maior percentagem de trabalhadores por conta própria apresentou no ano passado (30%, quase um em cada três trabalhadores), seguindo-se a Itália (22%, cerca de um em cinco), a Polónia (18%) e a Roménia (17%).

A estes países seguem-se a República Checa, a Holanda e a Espanha (16% cada), Portugal, Eslováquia e Reino Unido (15% cada).

No extremo oposto da tabela, com menos de 10% de trabalhadores por conta própria, ficaram a Dinamarca e o Luxemburgo (8% cada), seguidos pela Alemanha e a Suécia (9% cada).