A taxa de desemprego aumentou em julho para os 7,9% na zona euro e os 7,2% na União Europeia (UE), segundo dados divulgados esta terça-feira pelo Eurostat.

Na zona euro, a taxa de desemprego de 7,9% compara com os 7,5% homólogos e os 7,7% de junho.

Na UE, o desemprego no mês homólogo fixou-se nos 6,7% e em junho nos 7,1%, tendo atingido os 7,2% em julho.

No que toca ao desemprego jovem, de cidadãos com menos 25 anos, a taxa subiu para os 17,3% na zona euro, face aos 15,6% em julho de 2019 e aos 17,2% de junho, e para os 17,0% na UE (que se comparam com 15,0% e 16,9%, respetivamente).

Em termos absolutos, havia em julho 15.184 milhões de desempregados na UE, dos quais 2.906 milhões com menos de 25 anos.

Zona euro com inflação negativa de -0,2% em agosto

A zona euro registou em agosto uma taxa de inflação anual negativa de -0,2%, face aos 0,4% de julho e aos 1,0% homólogos, segundo uma estimativa rápida hoje divulgada pelo Eurostat.

A deflação registada em agosto deve-se principalmente às quebras dos preços da energia (-7,8%, face aos -8,4% de julho) e também dos bens industriais não energéticos (-0,1%, que compara com os 1,6% de julho)

Segundo o gabinete estatístico europeu, o setor da alimentação, álcool e tabaco foi o que registou uma maior subida de preços em agosto, 1,7%, mas abrandando face à de 2,0% registada no mês anterior.

Também a inflação no setor dos serviços foi menor em agosto (1,7%) do que em julho (2,0%).

/ AM