A candidatura da ministra francesa da Economia e Finanças, Christine Lagarde, à direcção do Fundo Monetário Internacional (FMI) «é boa para a Europa toda», disse esta quarta-feira o presidente da Comissão Europeia à Lusa, em Paris.

«É a melhor solução», sublinhou Durão Barroso sobre Lagarde.

Christine Lagarde, que também está presente na sede da OCDE, apresentou esta quarta-feira a sua candidatura oficial à sucessão de Dominique Strauss-Kahn, que apresentou a demissão na semana passada após ser acusado de agressão sexual e tentativa de violação.

A candidatura da ministra francesa «é boa para toda a Europa», respondeu Durão Barroso quando questionado sobre a importância, para as economias em dificuldades como a portuguesa, da possível nomeação de um europeu para o FMI.

Horas antes, numa nota divulgada em Bruxelas, imediatamente a seguir ao anúncio da candidatura, em Paris, Durão Barroso sublinhou que Lagarde «é muito respeitada no plano internacional, nomeadamente como ministra da Economia, Finanças e Indústria da França, membro do Eurogrupo e actual presidente dos ministros das Finanças do G20».

«A Comissão Europeia, que trabalha muito estreitamente com o FMI, considera que as qualidades da senhora Lagarde, assim como o seu empenho no reforço da governação económica mundial, são indispensáveis para assegurar a missão do FMI e a sua contribuição vital para a estabilidade da economia internacional», acrescentou o mesmo comunicado do presidente da Comissão Europeia.

Durão Barroso participa na sessão especial do conselho anual da OCDE, que é presidida pela secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, com quem o presidente da Comissão Europeia chegou ao centro de conferências na sede da organização.
Redação / RL