Apesar de haver um novo regime que acaba com as penalizações para as carreiras mais longas, as reformas antecipadas na Função Pública ainda são baixas, de acordo com dados do relatório anual da Caixa de Aposentações.

Em 2018, entraram na reforma 10.609 funcionários públicos, un número inferior ao do ano anterior, em que se reformaram 12.298 funcionários.

No ano passado, 713 trabalhadores pediram reformas antecipadas, ou seja, antes de completarem a idade de acesso à pensão, que é de 66 anos e 4 meses, o que corresponde a 7% do total.

Os sindicatos dizem que o número das reformas antecipadas na Função Pública é baixo porque as penalizações continuam muito elevadas, isto apesar do novo regime que acaba com os cortes para as carreiras muito longas.

O mesmo relatório da Caixa de Aposentações revela que houve mais recusas das juntas médicas para acesso às pensões. Foram recusadas 4343 reformas por invalidez e aprovadas 2135.

A tendência dos últimos anos é sair cada vez mais tarde do ativo devido às penalizações.

/ JFP