Agosto promete ser um mês quente em matéria de combustíveis, mas, para já, ao nível dos preços tudo tranquilo na próxima semana. Ao que apurou a TVI, o gasóleo deve subir 0,5 cêntimos por litro e a gasolina não sofrerá alterações de preço.

Esta manhã o preço do crude – Brent negociado em Londres e que serve de referência às importações portuguesas - sobe para 63,71 dólares o barril, muito abaixo dos mais de 66 dólares por barril de há duas semanas.

As subidas desta sexta-feira podem contribuir para um aumento da matéria-prima no conjunto da semana, já que as tensões geopolíticas com o Irão permanecem sem solução. A este impasse junta-se um outro relacionado com a relação comercial entre Estados Unidos e China. As negociações entre os dois países foram interrompidas em maio, mas na próxima semana, os dois países voltam a sentar-se à mesma mesa. Os analistas, citados pela Bloomberg, esperam que qualquer resultado positivo da reunião aumente os preços do petróleo - mais comércio, mais produção, mais procura de crude para igual oferta.

Com este cenário como pano de fundo, por que precisamos do preço ouro negro para o cálculo do preço de referência dos nossos combustíveis, onde petróleo e impostos ditam a quase totalidade do valor, se nada sofrer grandes alterações esta sexta-feira, as variações serão fracas.

No início desta semana o Preço Médio de Venda ao Público (PVP) da gasolina simples 95, no Continente, era de 1,525 euros, o valor mais alto em oito semanas.

gasóleo simples, tinha no dia 22 de julho um PVP de 1,350 euros por litro, o mais elevado, também, de sete semanas.