O conselho de ministros aprovou esta quinta-feira a versão final das Grandes Opções do Plano para 2013, nas quais o Executivo prevê um recuo do consumo privado e público, bem como uma retração do investimento e um aumento da taxa de desemprego.

No documento que foi na quarta-feira analisado pelos parceiros sociais, que consideram não haver «uma estratégia clara» do ponto de vista económico para 2013, o Executivo prevê que o consumo privado recue 2,2%, o consumo público desça 3,5% e o investimento regrida 4,2% em 2013.

O Produto Interno Bruto (PIB) deverá cair 1% no próximo ano, enquanto a evolução no mercado de trabalho deverá levar a um recuo de 1,2% do emprego e a um agravamento da taxa de desemprego para os 16%.

As exportações de bens e serviços deverão avançar 3,6%, enquanto as importações deverão baixar 1,4%.
Redação