Os apoios atribuídos pelo Governo às empresas afetadas pelos incêndios de 15 de outubro de 2017 superam os 100 milhões de euros, disse à agência Lusa fonte do Ministério da Economia e Transição Digital.

Segundo o gabinete de comunicação do ministério, à data de terça-feira, os incentivos atribuídos no âmbito do Programa REPOR situavam-se em 104 milhões de euros, embora os pagamentos realizados totalizassem 82 milhões de euros.

O programa permitiu a retoma da atividade de pelo menos 350 empresas (as que executaram os investimentos) e a manutenção de 3.900 postos de trabalho, impactados pelos incêndios", refere a informação enviada à agência Lusa.

O programa conta com uma execução próxima dos 80% e, face à possibilidade de prorrogação até 31 de dezembro de 2021, "este número irá subir, podendo vir a situar-se entre os 85 e os 90%".

O Programa REPOR é uma medida de apoio às empresas afetadas pelos incêndios de 15 de outubro de 2017, que tiveram um impacto severo em vários concelhos das regiões Centro e Norte do país.

O Conselho de Ministros alargou até 31 de dezembro de 2021 o prazo para a conclusão das obras de reconstrução dos investimentos empresariais afetados por estes incêndios, cuja execução se atrasou devido à pandemia.

Os incêndios florestais de outubro de 2017 na região Centro provocaram a morte a 50 pessoas, fizeram 70 feridos e destruíram total ou parcialmente cerca de milhar e meio de casas e mais de 500 empresas.

/ AG