O programa de formação “Emprego + Digital” apresentado esta sexta-feira pela Confederação Empresarial de Portugal (CIP) terá um financiamento público de 6,3 milhões de euros e abrangerá 25 mil trabalhadores, segundo a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.

O investimento público envolvido neste programa que abrangerá cerca de 25 mil pessoas é de 6,3 milhões de euros”, disse Ana Mendes Godinho na cerimónia de apresentação do programa, que decorreu 'online' nas plataformas da CIP e na página do Governo no Twitter e que contou ainda com a presença do ministro de Estado, Economia e Transição Digital, Pedro Siza Vieira.

Em causa está um programa de formação de competências digitais concebido pela CIP em parceria com o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) e com a Estrutura de Missão Portugal Digital (EMPD), sendo implementado pela rede associativa da CIP.

O ministro de Estado e da Economia disse que o programa “Emprego + Digital” conseguiu “num curto espaço de tempo chegar a 23.500 trabalhadores em empresas do setor industrial, num objetivo de 25 mil trabalhadores para o ano de 2021, já estando assim comprometidos mais de 95% do objetivo”.

Segundo o presidente da CIP, António Saraiva, até agora e “em pouco mais de três semanas” 22 associadas da confederação empresarial aderiram ao programa e serão implementadas 1.500 ações de formação em todo o país.

Os números mostram que existe a necessidade e a apetência pelo reforço de competências, porque as empresas têm a noção de que têm de preparar o futuro, em todos os setores, em todos os ramos de atividade”, sublinhou António Saraiva.

Entre os 22 associados da CIP que aderiram ao programa estão a Associação Industrial Portuguesa (AIP), a Associação Têxtil de Portugal (ATP), a Associação dos Industriais Metalúrgicos (AIMMAP), a Associação Industrial de Aveiro (AIDA), a Associação Portuguesa de Industriais de Calçado (APICAPS) e a Associação Nacional de Jovens Empresários (ANJE).

/ AG