Bruxelas considerou que "os condicionalismos orçamentais com que se deparam os Estados-membros e a falta de financiamento disponível na fase inicial do período de programação causaram atrasos na implementação das medidas ao nível nacional e regional", obrigando a um maior pré-financiamento de projectos.

A título excecional, sublinha a Comissão Europeia, foi decidido "mediante a proposta legislativa hoje anunciada, uma taxa mais elevada de pré-financiamento para a dotação específica da IEJ de 3,2 mil milhões de euros em 2015, a fim de assegurar uma rápida mobilização dos fundos".