A coligação de conservadores e socialistas na Grécia conheceu a primeira remodelação governamental com a substituição de três ministros e a cerimónia de juramento dos seus substitutos.

A inevitabilidade de alterações no executivo liderado desde meados de novembro pelo tecnocrata Lucas Papademos foi anunciada há dez dias com a demissão do ministro da Proteção Cidadã (Interior), Christos Paputsis, que optou por anunciar a sua candidatura à liderança do Movimento Socialista Pan-Helénico (PASOK) e antes das legislativas antecipadas, em princípio agendadas para o final de abril.

A candidatura a novo líder do PASOK vai ser decidida em 18 de março durante eleições primárias no partido às quais também deverá concorrer o atual ministro das Finanças, Evangelos Venizelos.

O cargo de Paputsis será ocupado pelo também membro do PASOK Michalis Chrisochoidis, que esteve no cargo em 2009 e 2010 antes de ser colocado à frente do ministério do Desenvolvimento.

Para este ministério foi por sua vez designada a ministra da Educação cessante, Anna Diamantopoulou, um dos membros da hierarquia dos socialistas que liderou a rebelião interna contra o ex-primeiro-ministro e ainda líder do PASOK, George Papandreou.

A pasta da Educação vai passar a ser liderada pelo ex-diretor da universidade de Atenhas, Iorgos Babiniotis, que já anunciou a intenção de «reformar o setor educativo».

As alterações governamentais aprovadas durante a reunião do executivo na noite de terça-feira também incluem a designação para um dos cargos de vice-ministros do Interior do ex-chefe da polícia grega, Lefteris Economu.