Portugal registou o quarto maior aumento homólogo dos preços das casas no terceiro trimestre de 2019, 10,3%, mais do dobro da subida verificada em média na zona euro e na UE (4,1% em ambos os casos), segundo o Eurostat.

Os dados hoje publicados pelo gabinete oficial de estatísticas da União Europeia revelam que, entre julho e setembro do ano passado, os preços das casas, medido pelo índice dos preços das habitações, aumentou 4,1% tanto no espaço da moeda única como no conjunto dos 28 Estados-membros face ao mesmo período de 2018 e, respetivamente, 1,4% e 1,5% na comparação em cadeia, com o trimestre anterior.

O Eurostat aponta que os maiores aumentos homólogos dos preços das casas foram registados na Letónia (13,5%), na Eslováquia (11,5%), no Luxemburgo (11,3%) e em Portugal (10,3%), que no segundo trimestre também já registara o quarto maior aumento homólogo entre os 28 Estados-membros (então de 10,1%).

Face ao segundo trimestre de 2019, os preços do imobiliário para habitação subiram de forma mais vincada na Letónia (3,9%) e Eslovénia (3,1%), tendo Portugal registado um aumento de 1,2%, abaixo da média da zona euro (1,4%) e da União (1,5%).