"Temos demonstrado algumas limitações na transferência do conhecimento tecnológico para as empresas na produção de novos produtos e serviços inovadores", disse.

"Estamos certos que vamos assistir em 2016 ao aprofundamento da tendência de investimento em investigação e desenvolvimento entre empresas e à colaboração do sistema científico tecnológico e empresas", salientou, adiantando que isso irá permitir ter "uma economia mais competitiva e mais internacionalizada".