As Finanças vão passar a pré-preencher alguns campos das declarações do IVA. A ideia é que, progressivamente, tudo passe a ser automatizado. Uma simplificação que comporta riscos e exige “atenção redobrada”, disse a bastonária dos Contabilistas, Paula Franco, ao Jornal de Negócios.

A primeira fase entrou em funcionamento em novembro. Ao longo de 2019, o Governo pretende alargar o pré-preenchimento. Nesta fase, o pré-preenchimento da declaração periódica de IVA está a ser disponibilizado aos sujeitos passivos que reúnam várias condições cumulativas: estarem  no regime normal de periodicidade trimestral do IVA; não terem contabilidade organizada; terem apenas emitidas faturas ou faturas recibo no portal das Finanças no período de IVA em causa.