O indicador de atividade económica, disponível até janeiro, diminuiu e o indicador de clima económico, disponível até fevereiro, estabilizou, divulgou esta quarta-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Na Síntese Económica de Conjuntura, referente a fevereiro, o INE adverte que os dados não refletem ainda a situação atual determinada pela pandemia de Covid-19.

É de esperar que as tendências aqui analisadas se alterem substancialmente. De qualquer modo, a informação hoje disponibilizada é útil para estabelecer uma referência para avaliar desenvolvimentos futuros”, sinaliza.

Segundo a informação esta quarta-feira divulgada, o indicador de atividade económica, disponível até janeiro, diminuiu (de 1,7 pontos para 1,5 pontos) e o indicador de clima económico, disponível até fevereiro, estabilizou (nos 2,2 pontos).

O indicador quantitativo do consumo privado desacelerou em janeiro, refletindo os contributos positivos menos intenso das componentes de consumo duradouro e não duradouro”, refere o INE.

O indicador de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF - investimento) registou uma diminuição em janeiro, verificando-se uma redução do contributo positivo da componente de construção e um contributo mais negativo das máquinas e equipamentos, enquanto o material de transporte registou um contributo negativo menos intenso.

Em termos nominais, as exportações e importações de bens apresentaram, respetivamente, subidas homólogas de 5,9% e 0,2% em janeiro (7,4% e 3,2% em dezembro).

Considerando a atividade económica da perspetiva da produção, verificou-se um crescimento na indústria e uma desaceleração em termos reais na construção e, de forma ligeira, em termos nominais nos serviços.

O INE avisa na nota que, apesar das circunstâncias, tentará manter o calendário de produção e divulgação, “embora seja natural alguma perturbação associada ao impacto da pandemia na obtenção de informação primária”.

/ CE