O valor médio da avaliação bancária subiu, em julho, para 1.283 euros por metro quadrado, o mais alto desde janeiro de 2011, segundo dados divulgados esta quinta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Segundo o INE, em julho, o valor médio de avaliação bancária no âmbito de pedidos de crédito à habitação fixou-se em 1.283 euros por metro quadrado, o que significa mais 11 euros que em junho (0,9% em termos de variação relativa) e 96 euros face ao mesmo mês de 2018 (8,1%).

A série divulgada pelo INE, desde janeiro de 2011, indica que este é o valor mais alto desde essa data.

Por regiões, o valor médio mais alto do metro quadrado (m2) foi registado no Algarve, com 1.678 euros por m2, seguido de Lisboa (1.571 euros por m2).

Com valores acima da média nacional ficaram as regiões de Algarve (+41%), Área Metropolitana de Lisboa (+32%), Madeira (+15%), Área Metropolitana do Porto (+9%) e Alentejo Litoral (+4%) e abaixo do valor médio nacional regiões de Beiras e Serra da Estrela (-27%).

Já em termos de variação, a maior subida face a junho foi na Área Metropolitana de Lisboa (1,6%). Por outro lado, a única descida do valor médio da habitação foi na Madeira (-0,4%) para 1.367 euros por m2.

Por tipos de casa, o valor médio de avaliação dos apartamentos subiu para 1.368 euros por metro quadrado (euros/m2), mais 1,1% (15 euros) face a junho, sendo o valor mais elevado no Algarve (1.695 euros/m2) e o mais baixo no Alentejo (1.063 euros/m2).

Já em termos de variação, a maior subida no valor dos apartamentos foi nos Açores (4,2%) e na Madeira houve a descida mais acentuada (-1,3%).

O valor médio de apartamentos T2 foi de 1.401 euros/m2 (mais 16 euros do que no mês de junho) e para T3 de 1.283 euros/m2 (mais 18 euros do que no mês anterior). Estas tipologias representaram 83,2% das avaliações de apartamentos feitas em julho, segundo o INE.

Já nas moradias, o valor médio ficou em junho em 1.148 euros/m2, mais seis euros.

Novamente os valores mais elevados foram no Algarve (1.630 euros/m2), sendo o maior aumento, seguido de Lisboa (1.575 euros/m2). O valor médio mais baixo foi do Centro (990 euros/m2).

Nas moradias, as tipologias T3 e T4 representaram 60% das avaliações em julho, tendo o valor destas tipologias descido nove e dois euros para 1.101 euros/m2 e 1.165 euros/m2, respetivamente.