As importações aumentaram mais do que as exportações no terceiro trimestre deste ano e abrandaram o ritmo face ao segundo trimestre, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística revelados esta sexta-feira.

No 3º trimestre de 2018, as exportações e as importações de bens aumentaram, respetivamente, 6,1% e 7,3% face ao mesmo período de 2017; no 2º trimestre, pela mesma ordem, registaram variações de +10,8% e +9,5%".

No conjunto dos primeiros nove meses do ano, as exportações aumentaram 6,7% e as importações cresceram 7,8%.

Já se nos centrarmos apenas em setembro, aí os bens vendidos ao estrangeiro aumentaram mais em percentagem (+1,7%) do que aqueles que foram comprados (+0,5%).

Excluindo os Combustíveis e lubrificantes, as exportações aumentaram 3,3% e as importações cresceram 1,7%. Em agosto, a variação tinha sido +1,3% e +1,4%, respetivamente.

A paragem programada das refinarias nacionais condicionou, de forma significativa, o comportamento global quer das exportações quer das importações nos meses de agosto e setembro", justifica o INE.

Já nas contas ao défice da balança comercial de bens, este atingiu 1 203 milhões de euros em setembro de 2018, menos 49 milhões de euros que no mesmo mês do ano passado.