Os custos de construção de habitação nova deverão ter desacelerado em março, aumentando 0,6% face ao mesmo mês de 2019, menos 1,5 pontos percentuais do que em fevereiro, estimou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).

De acordo com o INE, em março, os preços dos materiais diminuíram 0,5% (-0,3% no mês anterior) e o custo da mão-de-obra aumentou 2,3% (5,7% em fevereiro) face ao período homólogo.

O custo da mão-de-obra contribuiu com 0,9 pontos percentuais para a formação da taxa de variação homóloga do Índice de Custos de Construção de Habitação Nova (ICCHN), enquanto a contribuição da componente dos materiais foi de -0,3 pontos percentuais.

Em março face a fevereiro, a taxa de variação mensal do ICCHN foi de -1,1%, com o custo dos materiais a registar uma variação nula e o custo da mão-de-obra a diminuir 2,6%.

A componente de mão-de-obra contribuiu com -1,1 pontos percentuais para a formação da taxa de variação mensal do ICCHN, sendo nula a contribuição dos materiais.

Segundo o INE, a informação deste destaque “reflete já parcialmente os efeitos da pandemia covid-19 no comportamento da atividade económica”.

/ Publicado por ALM