O Valor Acrescentado Bruto gerado pelo Turismo (VABGT) em 2020 caiu 48,2%, face ao ano anterior, em termos nominais, segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), que a compara com a redução de 4,6% do VAB da economia nacional.

A estimativa preliminar da 'conta satélite' do turismo em 2020, hoje divulgada pelo INE, revela que o consumo de turismo no Território Económico (CTTE) caiu 50,4%, enquanto o Produto Interno Bruto (PIB) diminuiu 5,4%.

As importações de turismo registaram em 2020 uma redução de 46,1%, embora menos acentuada que a das exportações (créditos), o que o INE diz refletir as limitações às viagens internacionais devido à pandemia.

O instituto regista uma "redução sem precedentes", em 2020, da despesa do turismo recetor (exportações de turismo), que diminuiu mais de 50% face a 2019.

"Esta situação poderá ter-se refletido num acréscimo de poupança dos residentes e numa diminuição menos significativa da despesa por parte dos residentes em turismo interno e, provavelmente em menor grau, da despesa com outros bens e serviços", explica.

O turismo interno também diminuiu de forma significativa, mas não tão intensa, segundo o instituto: "Efetivamente, tomando como referência as dormidas em estabelecimentos de alojamento turístico, a redução das dormidas de não residentes atingiu um valor absoluto quase duas vezes superior ao correspondente para as dormidas de residentes".

Segundo a conta satélite do turismo, o VABGT representou 4,6% do VAB nacional, contra 8,4% em 2019, enquanto o CTTE representou 8% do PIB, quase metade dos 15,3% registados em 2019.

"O decréscimo consideravelmente mais acentuado quer do VABGT quer do CTTE, face ao conjunto da economia portuguesa, expressou os efeitos particularmente nocivos da pandemia covid-19 sobre esta atividade económica", assinala o INE, considerando que o contributo do VABGT para o VAB nacional (4,6%) reduziu-se para um valor que só foi inferior em 2010 (4,1%).

No caso do peso do CTTE no PIB nacional, este atingiu em 2020 (8%) o valor mais baixo desde o ano 2000 (ano mais recuado para o qual se dispõe de informação da CST), inferior ao anterior valor mínimo observado em 2003 (8,2%)", destaca ainda.

O instituto estima que a atividade turística gerou um contributo para o valor nominal do PIB em 2020, direto e indireto, de 12,8 mil milhões de euros, correspondente a 6,3% (11,8% em 2019), e que, para a variação em volume do PIB, fixada em menos 7,6%, a redução da atividade turística contribui com três quartos do total.

. / MJC