O índice de volume de negócios nos serviços caiu 14,1% em agosto, depois da descida de 15,7% em julho, segundo dados divulgados esta segunda-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

De acordo com o INE, os dados não ajustados de sazonalidade e de efeitos de calendário passaram de uma variação de -16,7% em julho para -16,2% no mês de agosto.

As secções que mais se destacaram para a variação do índice foram o alojamento, restauração e similares, que apresentou a maior recuperação (oito pontos percentuais) em agosto, contudo, a taxa de variação fixou-se em -43,5%, da qual resultou o contributo mais negativo para o resultado agregado (-4,2 pontos percetuais).

O alojamento recuperou 15,4 pontos percentuais, registando, contudo, uma descida homóloga de 61,9%.

A restauração e similares contraiu 37% no período em análise (-42% em julho).

Os transportes e armazenagem, com um contributo negativo de quatro pontos percentuais foi a segunda secção que mais influenciou o resultado agregado. Este contributo foi originado por uma variação de -29,1%, (-34,8% em julho).

Apesar da melhoria de 10 pontos percentuais, o desempenho dos transportes aéreos continuou a ter o impacto mais negativo deste agregado, com uma descida homóloga de -68,8% em agosto.

As atividades de informação e comunicação apresentaram o único contributo positivo (0,2 pontos percentuais) para o resultado global, passando de um aumento homólogo de 1,6% em junho para 4% em agosto.

Os índices de emprego, de remunerações e de horas trabalhadas ajustado de efeitos de calendário, apresentaram também quedas de 8,4%, 6,2% e 10,8%, respetivamente (-8,9%, -7,3% e -14,5% em julho, pela mesma ordem).

/ HCL