A Infraestruturas de Portugal diz que a greve desta sexta-feira não causou quaisquer constrangimentos na circulação ferroviária, mas o Sindicato do Setor Ferroviário fala no encerramento total da Linha do Oeste e em perturbações em todo o país.

Numa nota enviada às redações, a Infraestruturas de Portugal (IP) informa que, às 10:00, a circulação ferroviária estava a ser assegurada "sem qualquer constrangimento" e que estavam a ser cumpridas "todas a ligações, tanto dos comboios de médio e longo curso, como dos comboios urbanos e suburbanos", mas o sindicato diz que a paralisação está a provocar perturbações em todo o país e algumas supressões de comboios.

Em declarações à agência Lusa, Abílio Carvalho, do Sindicato Nacional do Setor Ferroviário, disse que, "além do que é visível, com o encerramento total da Linha do Oeste, perturbações e supressões de comboios um pouco por todo o país", há uma "adesão muito grande dos trabalhadores das infraestruturas rodoviárias e ferroviárias, quer da manutenção das estradas, quer da via ferroviária".

Na manutenção das infraestruturas a adesão é também muito participada", disse o responsável.

Questionado sobre se já dispunha de dados concretos e percentuais dessa adesão, Abílio Carvalho remeteu para a IP, dizendo que "detalhadamente só a empresa poderá transmitir os dados, provavelmente não hoje, pois terá de fazer o balanço do que foi a participação na greve em todo o pais".

Esperemos que seja sinal claro para a empresa, pela intransigência que teve ao não cumprir o compromisso que assumiu com os trabalhadores há um ano, nomeadamente o Acordo Coletivo de Trabalho", sublinhou.

Veja também:

Os sindicatos acusaram a administração da IP e o Governo de não terem consideração para com os trabalhadores das empresas do grupo IP (Infraestruturas; Telecom; Património e Engenharia) e de nada terem feito para encontrar uma solução que “abrisse linhas de negociação das reivindicações e dos problemas dos trabalhadores”.

As estruturas sindicais queixaram-se de não ter sido apresentada pela empresa qualquer proposta que permitisse “abrir um processo de negociação sério, não só em torno da matéria salarial, mas de outras matérias identificadas pelas organizações sindicais".

Os clientes que já tenham bilhetes adquiridos para a data da greve, para viajar em comboios dos serviços Alfa Pendular, Intercidades, InterRegional e Regional, podem pedir o reembolso no valor total do bilhete ou a sua revalidação, sem custos.

Estes pedidos podem ser apresentados até 10 dias após terminada a greve.

/ CE