O salário mínimo nacional, em termos reais, diminuiu 3,6 por cento em 2011, face ao ano anterior, revela esta quinta-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Já a subir ficou a taxa de desemprego que atingiu os 12,7% no final do ano, abrangendo, com maior impacto, as mulheres (13,1% contra os 12,4% de homens).

No total, 706,1 mil pessoas estavam fora do mercado de trabalho no ano passado, sendo que 10,5% procurava o primeiro emprego.

Por grupo etário, a taxa mais elevada verificou-se nos jovens com idades entre os 15 e os 24 anos (30,1%).

A nível regional, verificaram-se taxas de desemprego superiores à média nacional no Algarve (15,6%), Lisboa (14,1%), Região Autónoma da Madeira (13,8%) e Norte (13%).

Maioria trabalha mais de 36 horas/semana

Já no grupo dos portugueses empregados, a maioria (72,3%) trabalhou mais de 36 horas semanais, sendo que a média ascendeu a 39,2 horas por semana.

Grande parte dos trabalhadores nacionais (61%) tinha, no máximo, como nível de ensino completo o ensino básico - 3º ciclo.
Redação / RL