relatório do Inspeção-Geral das Finanças

“(…) O relatório coloca questões sérias sobre o funcionamento da AT. Questões sérias quanto aos utilizadores internos e questões sérias quanto aos utilizadores externos. Todas estas matérias têm de ser objeto de regulação firme e impedimento de abusos e garantia para os contribuintes, todos, e cada um deles, que os seus direitos estão protegidos”












“Eu não admito separar a questão dos contribuintes que ocupam determinados cargos da questão dos contribuintes em geral, por isso é que esta ideia da suposta lista VIP era completamente ilegal, porque não há contribuintes de primeira ou de segunda, o sigilo fiscal é uma questão essencial para todos e a igualdade entre contribuintes é uma questão essencial para todos, faz parte das regras de um estado de direito”


até meados de junho

pedido de demissão



“A necessidade de identificar e responsabilizar quem de forma (alegadamente) ilegal e dissimulada criou e implementou o sistema de ‘alarmística’ em causa, assim como a necessidade de se disciplinarem os acessos de entidades externas aos dados fiscais registados na AT (sejam essas entidades públicas ou privadas)”.






Redação / VC - Notícia atualizada às 18:00