O lucro da Mota-Engil mais do que duplicou em 2016, para 50 milhões de euros, resultado que compara com os 19 milhões de euros registados no ano anterior. A empresa beneficiou do impacto positivo da venda de ativos.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a Mota-Engil refere, especificamente, que o lucro foi “impactado positivamente por ganhos de capital ligados à venda de ativos, que mais do que compensaram o aumento nos custos financeiros, afetados por uma política de provisionamento muito conservadora”.

A empresa não divulgou, contudo, nem o montante das mais-valias geradas pela venda de ativos (na área da logística e a Indáqua) nem o valor das provisões feitas.

O EBITDA - lucro antes de juros, impostos, amortizações e depreciações - recuou 9% para 334 milhões de euros, no ano passado.

A construtora destaca, no mesmo comunicado, "a significativa redução da dívida" em 296 milhões de euros, para um total de 1.159 milhões-

A carteira de encomendas, em dezembro de 2016, atingiu os 4.400 milhões, "abrindo caminho para um regresso ao crescimento em 2017". Fica expressa essa confiança no ano corrente.