O Presidente da República afirmou esta sexta-feira que a subida dos preços da energia é uma preocupação global, nomeadamente de vários países da União Europeia. Depois de esta semana se ter ficado a saber que a eletricidade vai ficar mais cara em Portugal já em outubro, Marcelo Rebelo de Sousa teme consequências na inflação.

Para o chefe de Estado, este era um problema para o qual várias economias do mundo chamavam a atenção, até porque é um fator de produção, o que pode ter custos económicos.

Pode ter consequências, por exemplo, na inflação na subida dos preços", afirmou o Presidente da República, referindo uma preocupação de vários países que participaram na reunião do Grupo de Arraiolos.

Marcelo Rebelo de Sousa reuniu-se esta quarta-feira com os chefes de Estado de Itália, Bulgária, Alemanha, Estónia, Irlanda, Grécia, Croácia, Letónia, Hungria, Malta, Áustria, Polónia, Portugal, Eslovénia e Finlândia, no chamado Grupo de Arraiolos.

Este aumento dos preços pode também condicionar a recuperação económica da crise causada pela covid-19: "Pode ser um travão ou uma desaceleração".

Ao que a TVI24 conseguiu apurar, a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) aprovou um novo aumento de tarifas do mercado regulado em cinco euros por megawatt/hora. Significa isto que a fatura média da eletricidade vai subir cerca de 1,05 euros por mês.

António Guimarães