O ministro das Finanças, Mário Centeno, disse esta segunda-feira que as falhas na supervisão financeira "não podem voltar a ser desculpa", considerando que uma das lições da crise é a necessidade de os supervisores coordenarem decisões e ações.

As falhas na supervisão não podem voltar a ser desculpa. As decisões têm de ser partilhadas. Os supervisores têm de se sentar à mesma mesa e entender-se, porque passam a ser corresponsáveis nas decisões de supervisão financeira", disse no encerramento da conferência ‘Portugal: Crescimento e reformas no contexto da zona euro’, organizada pelo Banco de Portugal, em Lisboa.

O governante defendeu a proposta do Governo de reforma da supervisão financeira, atualmente no parlamento, considerando que "reforça a interdependência dos supervisores financeiros".