O governador do Banco de Portugal (BdP) considerou esta quinta-feira que a incerteza em relação à subida da inflação requer a monitorização próxima por parte do Banco Central Europeu (BCE), que deve “estar pronto para agir de forma flexível”.

Mário Centeno falava na conferência anual do Centro de Investigação em Regulação e Supervisão do Sector Financeiro (CIRSF).

No que diz respeito à política monetária, a melhor resposta à incerteza é manter o monitoramento próximo, uma mão firme e estar pronto para agir de forma flexível", disse Mário Centeno.

Para o governador do BdP, o BCE tem ferramentas para responder "com agilidade e eficácia".

O BCE, sediado em Frankfurt, aponta para uma inflação de 2,2% na zona euro no final deste ano, um número que deverá baixar para 1,7% em 2022 e 1,5% em 2023, de acordo com as previsões económicas da instituição.

Para Mário Centeno, o crescimento da zona do euro vai continuar “com força e rapidamente”, excedendo seu nível pré-crise no quarto trimestre, superando as projeções.

Agência Lusa / AG