O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, afirmou esta segunda-feira, no Parlamento Europeu, em Bruxelas, que Portugal alcançou “progressos significativos” em “todas as frentes”, mas advertiu para o problema do crédito malparado, que “deve ser enfrentado”.

Foram alcançados, de facto, progressos significativos em Portugal, em todas as frentes. Esse é o primeiro ponto que devemos ter em mente. O segundo é que, no entanto, persistem vulnerabilidades significativas, em especial no setor bancário, onde ainda temos um número elevado de crédito malparado, como [acontece] em outros outros países, sobretudo da periferia, e estas vulnerabilidades devem ser enfrentadas”, afirmou.

Mario Draghi, que respondia a uma questão do eurodeputado português Pedro Silva Pereira, do PS, durante uma audição perante a comissão parlamentar de Assuntos Económicos, defendeu que “estas vulnerabilidades têm que ser enfrentadas antes de mais para o seu próprio bem [dos bancos], para a estabilidade do sistema bancário, mas também para explorar ao máximo a capacidade dos bancos portugueses de apoiarem e financiarem a economia real”.