O secretário dos Transportes, Turismo e Energia do Governo açoriano, Mário Mota Borges, afirmou, esta quarta-feira, que a tarifa Açores, que prevê passagens interilhas a 60 euros para os residentes, vai entrar em vigor em 1 de junho.

Relativamente à tarifa Açores, temos passado e dedicado bastante do nosso esforço a desenhar várias modalidades para montar este projeto. Neste momento, temos condições para poder afirmar que a partir de 1 junho a tarifa Açores está em condições de sair para a rua”, declarou.

O governante falava, esta quarta-feira, na comissão de Economia, realizada na Assembleia Regional dos Açores, na cidade da Horta, a propósito do Plano e Orçamento da região para 2021.

As declarações de Mota Borges foram suscitadas por uma intervenção do deputado do PSD António Vasco Viveiros, que questionou a calendarização da medida.

O deputado do PS Miguel Costa questionou ainda o governante sobre se a aquisição prevista para um rebocador para o porto de Ponta Delgada será financiada com fundos comunitários, tendo Mota Borges respondido que sim.

O socialista pediu também esclarecimentos sobre as intervenções projetadas no terminal marítimo de passageiros do porto da Praia da Vitória e para o porto da Horta, tendo o secretário regional dito que faria chegar as informações à comissão o “mais rápido possível”.

Pelo Chega, o parlamentar Carlos Furtado perguntou a Mota Borges o valor das obrigações de serviço público ao longo da legislatura, pedindo “equidade” para que as “pessoas que não viajam não sustentarem” aquelas que viajam mais frequentemente.

Na resposta, Mota Borges referiu que as obrigações de serviço público procuram “servir os Açores de forma ponderada e equitativa” e que o executivo procura diminuir “o valor que isso acarreta” para a região.

O deputado do CDS-PP Rui Martins interrogou Mota Borges sobre a existência de “alguma verba inscrita abaixo do que têm sido as execuções anteriores” na área do turismo, tendo o secretário regional destacado que “não existem descidas significativas”.

A 9 de março, foi anunciado pelo secretário das Finanças do Governo Regional, Bastos e Silva, que as tarifas aéreas a 60 euros entre as ilhas dos Açores iriam arrancar este ano.

A tarifa de 60 euros para o transporte aéreo interilhas foi defendida pela primeira vez pelo PSD/Açores em junho de 2020, quando o partido estava na oposição.

Este é o primeiro Plano e Orçamento do executivo açoriano liderado pelo social-democrata José Manuel Bolieiro.

A proposta de Orçamento dos Açores para este ano é de cerca de 1.900 milhões de euros, dos quais 165,7 milhões destinados ao transporte aéreo e à reestruturação da SATA.

/ NM