O mercado imobiliário português registou, em 2018, um aumento no investimento de 77%, face ao período homólogo, atingindo os 3,2 mil milhões de euros, de acordo com um relatório da consultora Savills Portugal, hoje divulgado.

Cerca de 90% do investimento registado em 2018 é internacional, com destaque para as nacionalidades espanhola e inglesa”, revela a empresa, em comunicado.

A Savills concluiu ainda que “o mercado residencial doméstico registou 24,1 mil milhões de euros em transações em 2018 (mais 24,4% do que o período homólogo), tendo as regiões da AML [Área Metropolitana de Lisboa] e região norte registado 64,6% do total de transações do ano”.

A consultora acredita que o setor do turismo irá dinamizar as zonas mais de nicho em Portugal.

As marcas hoteleiras internacionais continuam a demonstrar interesse no mercado nacional, sendo que o ‘pipeline’ [carteira] de novas aberturas para os próximos anos situa-se em 109 novas unidades hoteleiras”, salienta a consultora, acrescentando que no primeiro trimestre deste ano “conta-se já com a abertura de sete novas unidades hoteleiras e três inaugurações de unidades alvo de projetos de ‘rebranding’ [alteração na marca]”.

A Savills refere ainda que o mercado de escritórios conta com uma oferta “escassa” este ano face à elevada procura.

Assim, os negócios à procura de espaço terão que competir por 31.508 metros quadrados de escritórios disponíveis, “uma queda da disponibilidade face aos 34.488 metros quadrados de 2018. No entanto, prevê-se uma inversão desta tendência no início da nova década, duplicando o número de metros quadrados de oferta disponível”, segundo a consultora.

No caso do retalho, para este ano espera-se que as rendas “mantenham a sua tendência de subida, sobretudo na Baixa de Lisboa e áreas do Porto. O mercado dos centros comerciais não registou qualquer nova abertura em 2018, nem no primeiro trimestre deste ano”, avança a consultora.