Foi uma sexta-feira para esquecer nas bolsas europeias. Os receios vindos dos EUA, da Zona Euro e do Médio Oriente terão estado na base do pessimismo.

Só a bolsa em Lisboa perdeu quase 800 milhões de euros. O índice PSI20 registou o segundo pior desempenho do Velho Continente, ao perder 1,91% para 5.137,89 pontos. Só Milão caiu mais: cedeu 2,03%.

De resto, Madrid cedeu 1,39%, Frankfurt escorregou 1,32%, Londres recuou 1,27% e Paris desvalorizou 1,21%.

Por um lado, há muita expectativa em torno dos EUA e do debate sobre o «precipício orçamental, já que Barack Obama iniciou uma ronda de conversações com os republicanos. Os analistas dizem que, caso republicanos e democratas não se entendam - para travar a entrada em funcionamento de forma automática de um pacote de medidas de austeridade (aumento de impostos e corte de despesa) em janeiro de 2013, - a maior economia do mundo poderá registar uma recessão de 0,5% no ano que vem. Mesmo assim, a expetativa é de que possa haver um acordo à última da hora.

A pressionar ficaram ainda os receios em torno da Zona Euro, depois de ontem o Eurostat ter revelado que a economia da região entrou em recessão no terceiro trimestre. E, neste sentido, a própria Alemanha começa a ser afetada pela conjuntura recessiva, já que apenas cresceu 0,2% no trimestre, face aos 0,5% no período anterior.

Como se isso não bastasse, a Grécia voltou ao centro das atenções dos investidores. Isto porque a UE e o FMI estão em desacordo sobre o período a dar ao país para colocar as suas finanças públicas na ordem.

A castigar ficou ainda o conflito entre Israel e o Hamas.

A nível doméstico, o BES afundou 5,93% para 0,73 euros, depois de ter estado a perder mais de 7%. Hoje o banco tocou mínimos de um mês e negociou mais de 30 milhões de ações, um volume bastante acima da média diária de 14 milhões dos últimos 12 meses. A justificar esta queda do BES está o facto de ontem os analistas do BPI terem cortado a recomendação do banco liderado por Ricardo Salgado

Também o Banif caiu 5,07% para 0,13 euros e o BPI recuou 2,39% para 0,78 euros. O banco chegou a perder mais de 5% nesta sessão, depois de ontem a Fitch ter confirmado o seu Outlook (perspetiva) negativo.

Entre os pesos pesados, nota negativa ainda para a Portugal Telecom (PT) que desvalorizou 3,76% para 3,58 euros, numa sessão em que 19 das 20 empresas cotadas fecharam em queda.
Carla Pinto Silva