A bolsa de Lisboa fechou a sessão desta terça-feira no vermelho, a contrastar com as principais praças da Europa. O PSI20 inverteu à última hora e encerrou a perder 0,25%, com nove títulos em terreno negativo, nove no verde e dois inalterados.

A pressionar as negociações terão estado as previsões mais pessimistas do Banco de Portugal, que apontam para uma recessão de 3,1%. E nem a garantia de Vítor Gaspar, de que não serão tomadas medidas adicionais de austeridade, foi suficiente para manter o índice bolsista no verde.

A liderar a tabela dos ganhos ficou a REN, a grande estrela da sessão de hoje, depois do «Jornal de Negócios» ter noticiado os chineses State Grid já apresentaram uma proposta, não vinculativa, para a compra de participação da empresa, com um prémio de 50%, o que corresponde a cerca de 3 euros por acção.

As propostas têm de ser apresentadas até ao fim deste mês e a energética de Rui Cartaxo deverá ficar privatizada até ao final do ano. O Estado detém 51% do capital da REN.

Hoje, a energética valorizou 3,98%, para os 2,088 euros, depois de, a meio da sessão, ter disparado 5%. Foram trocadas de mãos cerca de 506,28 mil de títulos, muito acima dos 131 mil títulos da média diária dos últimos seis meses.

Também no sector financeiro, o dia foi positivo: BPI avançou 2,94%, Banif ganhou 1,95% e BES subiu 1,81%. Já o BCP contrariou e fechou a desvalorizar 1,42%, para os 0,139 euros por papel.

A puxar o PSI20 para terreno negativo ficaram ainda duas cotadas de peso: EDP e Jerónimo Martins.

A dona do Pingo Doce, que apresenta esta tarde os dados preliminares das vendas do quarto trimestre de 2011, recuou 1,18%, para os 13,020 euros.

A EDP perdeu um pouco mais: desvalorizou 1,22%, para os 2,352 euros, depois do UBS ter cortado a recomendação do título.

Brisa liderou tabela das perdas ao afundar 2,53%.

Já lá por fora, o dia foi positivo, com ganhos até 3% de Milão. Os investidores estão a aplaudir o acordo de ontem entre Angela Merkel e Nicolas Sarkozy para o pacto orçamental, que deverá ficar fechado até finais de Março.

Também o leilão da Grécia, que pagou hoje juros ligeiramente mais baixos para emitir dívida, animou as negociações. Curiosamente, a par de Lisboa, a bolsa de Atenas encerrou no vermelho: deslizou 1,72%.

Animadas seguem, agora, as negociações em Wall Street, com a sessão de apresentação de resultados ter arrancado da melhor forma: o fabricante de alumínios Alcoa apresentou vendas acima do esperado e as acções já estiveram a ganhar mais de 2,5%.

A esta hora, Dow Jones ganha 0,71% e Nasdaq avança 0,52%.
Ana Rita Leça