A bolsa de Lisboa continuou esta terça-feira o bom comportamento que trouxe da primeira sessão do ano. O PSI20 ganhou 1% para 7.781,22 pontos, o segundo melhor comportamento da Europa.

A Jerónimo Martins voltou a brilhar, disparando mais 3,08% para 12,24 euros, ainda a beneficiar da recomendação de compra e da subida de preço alvo para 14 euros, recebida ontem da Natixis.

Também em destaque esteve a PT, que trepou 2,73% para 8,58 euros.

Da banca, o BCP liderou os ganhos, ao avançar 0,85% para 60 cêntimos, e o BES ganhou 0,63% para 2,88 euros. Apenas o BPI contrariou, cedendo 0,14% para 1,4 euros.

Nota ainda no verde para as acções da Sonae, que subiram 0,77% para 78 cêntimos, da Brisa, em alta de 0,51% para 5,30 euros, e da EDP, que trepou 0,39% para 2,55 euros.

No vermelho, o grande destaque vai para a Galp, que esteve a corrigir depois do disparo de 4% na primeira sessão de 2011. A petrolífera perdeu 0,87% para 14,81 euros, apesar de a brasileira Petrobras ter confirmado estar em negociações com a Eni com vista à compra da sua posição na empresa portuguesa.

Lá por fora, só Londres conseguiu melhor que Lisboa: o FTSE subiu 1,7%, impulsionado pela BP, cujas acções dispararam depois de se saber que a Shell ponderou o lançamento de uma oferta sobre a empresa britânica.

De resto, a praça parisiense subiu 0,39% e a madrilena encerrou na linha de água. Frankfurt foi a única a fechar no vermelho com uma queda de 0,21%.

Do outro lado do Atlântico, os mercados norte-americanos abriram animados pela subida inesperada nas encomendas à indústria, mas a cautela tomou o lugar do optimismo, com os investidores à espera da divulgação das minutas da última reunião da Reserva Federal. Os mercados inverteram rapidamente para o vermelho e seguem com quedas ligeiras.
Redação / PGM