As bolsas europeias seguem em queda, tal como os futuros dos mercados norte-americanos, em antecipação das negociações que o Presidente dos EUA, Barack Obama, vai iniciar com os republicanos sobre o chamado «precipício orçamental».

Caso republicanos e democratas não se entendam para travar a entrada em funcionamento de forma automática de um pacote de medidas de austeridade (aumento de impostos e corte de despesa) em janeiro de 2013, os economistas acreditam que a maior economia do mundo registará uma recessão de 0,5% no ano que vem.

A maior queda na Europa cabe a Milão, e é de 1,4%. Logo a seguir, Lisboa perde 1,09% para 5.181,16 pontos.

A liderar as quedas estão os bancos: o BES afunda 4,12% para 0,74 euros e o BPI 3,27% para 0,77 euros. Só o BCP escapa, estável nos 6,8 cêntimos.

A PT também se juntou às perdas, cedendo 2,26% para 3,638 euros.

A energia continua a ser também um dos setores que mais penalizam a praça nacional, onde apenas três empresas seguem no verde (Sonaecom, EDP Renováveis e Jerónimo Martins). A EDP desliza 1,34% para 1,92 euros e a Galp recua 0,92% para 11,88 euros.
Paula Martins