As bolsas europeias fecharam esta sexta-feira em alta. Os investidores parecem partilhar do optimismo da chanceler alemã, e dos primeiros ministros de Itália e da própria Grécia, de que será encontrada uma solução para a crise grega.

É que Angela Merkel, Mario Monti e Lucas Papademos estão a discutir esta tarde telefonicamente a situação na Grécia e disseram já estar confiantes que será possível encontrar uma solução que evite a bancarrota do país.

Também a animar os mercados estão as notícias de que o Banco Central Europeu (BCE) está a ponderar recorrer ao Fundo Europeu de Estabilização Financeira (FEEF) para acabar de vez com a crise grega.

Atenas liderou sem contestação, ao disparar 6,69%, mas praças como Paris e Frankfurt também subiram mais de 1,3%.

Lisboa ficou longe dos ganhos europeus, apesar do bom comportamento do sector financeiro. O PSI20 subiu 0,20% para 5.616,02 pontos, apesar de se manter a tendência de recuperação na banca.

O BES foi o título que mais subiu: 5,52% para1,72 euros, mas o BPI também trepou 3,84% para 0,60 euros. O BCP ficou estável nos 0,17 euros, mas com um elevado volume de negociações: 114 milhões de acções.

Os ganhos na praça nacional só não foram maiores por causa da energia, onde a EDP recuou 0,49% para 2,24 euros e a Galp cedeu 0,70% para 12,76 euros, depois de a italiana Eni, accionista de referência da empresa, ter reiterado que está pronta para vender a posição de 33,34% que detém no capital da Galp.
Redação / PGM