As bolsas europeias seguem divididas, pouco depois da abertura da última sessão da semana. Os investidores continuam preocupados com os impactos na economia norte-americana, caso entre em vigor em janeiro, como previsto, o chamado «precipício orçamental», um pacote de medidas de austeridade que inclui aumento de impostos e corte de despesas.

A entrada automática em vigor destas medidas, estimam os economistas, pode arrastar a maior economia do mundo novamente para a recessão no ano que vem.

Mas os receios estão a ser mitigados por uma novidade: a notícia de que o Presidente dos EUA, Barack Obama, se prepara para iniciar negociações com os republicanos para tentar travar as medidas.

Frankfurt e Paris registam ganhos ligeiros, com a bolsa francesa a avançar 0,18%, ao passo que Madrid e Milão seguem no vermelho, a bolsa italiana a ceder 0,2%.

Em Lisboa, o PSI20 ainda cai 0,11% para 5.232,58 pontos.

Dividida segue também a banca portuguesa, onde o Banif e o BPI registam as maiores quedas. O banco liderado por Fernando Ulrich esteve já a perder quase 4,5% esta manhã, mas agora recua 1,26% para 0,79 euros.

Já o BES segue em alta ligeira de 0,1% e o BCP regista mesmo o maior ganho da praça: 1,47% para 6,9 cêntimos, depois de ter sido dos mais penalizados nos últimos dias.

Nota negativa merece ainda a energia, um dos setores que mais contribui para manter a bolsa nacional no vermelho: a EDP cede 0,21% para 1,94 euros, ao passo que a Galp desce 0,25% para 11,96 euros.
Redação