Os mercados voltam a não dar tréguas a Portugal nesta sexta-feira, véspera de Natal. Os juros da dívida portuguesa estão a subir pela 15ª sessão consecutiva, depois de ontem a agência Fitch ter cortado em um nível o «rating» da República.

Os juros das Obrigações do Tesouro portuguesas a 10 anos sobem esta manhã para os 6,752%, numa altura em que as «yields» (juros) dos restantes países periféricos da Zona Euro até estão a descer.

Sócrates passa fim de ano no Brasil para vender dívida

Na Alemanha, que serve de termo de comparação para Portugal, os juros estão a negociar nos 2,981%. O spread - a diferença entre o que os investidores cobram para comprar dívida portuguesa em detrimento da alemã - está hoje nos 377,59 pontos base.

Já o preço de segurar um eventual incumprimento de Portugal é o que mais sobe no mundo.

Recorde-se que ontem a Fitch cortou o rating de Portugal de AA- para A+, ao mesmo tempo que manteve o «Outlook» negativo.

A agência de notação financeira justificou este corte com maiores dificuldades de financiamento, tanto do Estado como dos bancos, desde a última revisão publicada. Este corte é ainda justificado pela redução menos pronunciada do défice externo português.

A Fitch manteve a notação da dívida da República portuguesa sob perspectiva negativa, deixando a porta aberta para um possível corte no rating nos próximos meses.

Governo: corte de «rating» é «difícil de compreender»
Redação / CPS