Espanha foi esta quinta-feira ao mercado emitir 2.400 milhões de euros em dívida de longo prazo, pagando juros mais altos só comparados com os níveis de 1997, segundo a Europa Press.

A última emissão do ano de dívida a longo prazo acontece um dia depois de a agência de notação financeira Moody`s ter ameaçado cortar o rating do país vizinho, dadas as incertezas quanto à saúde financeira do país.

Os 2.400 milhões de euros em obrigações a 10 e 15 anos colocados pelo Tesouro espanhol permitiram-lhe alcançar os objectivos de emitir dívida entre 2 mil e 3 milhões. No

entanto, a factura vai sair cara em termos de juros.

Em pormenor, foram vendidos 1.782,47 milhões em obrigações a 10 anos, muito abaixo da procura de 2.984,87 milhões, com juros de 5,485%, quase um ponto percentual acima do juro de 4,632% pago na emissão de 18 de Novembro.

Na emissão de dívida a 15 anos, o Tesouro adjudicou 618,67 milhões de euros, menos de metade dos 1.558,67 milhões solicitados pelos investidores, a um juro de 5,986%, quase um ponto e meio acima da emissão realizada a 21 de Outubro.
Redação / VC