Portugal realiza esta quarta-feira um leilão de duas linhas de Obrigações do Tesouro (OT), com um montante indicativo global entre 750 milhões de euros e mil milhões de euros, a oito e 17 anos, segundo o calendário do IGCP.

O organismo, que gere a dívida pública, “vai realizar no próximo dia 14 de outubro pelas 10:30 horas dois leilões das linhas de OT com maturidade em outubro de 2028 (OT 2,125% 17out2028) e em abril de 2037 (OT 4,1% 15abr2037)" com um “montante indicativo global entre 750 milhões de euros e 1.000 milhões de euros”, de acordo com a informação no ‘site’ da entidade.

Para já, não há mais leilões até ao fim do ano no calendário publicado pelo ICGP.

Nos últimos leilões de OT, em 09 de setembro, Portugal colocou 1.211 milhões de euros, abaixo do máximo indicativo, em OT a 10 e 25 anos, a juros mais baixos.

Naquela data foram colocados 964 milhões de euros em OT com maturidade em 18 de outubro de 2030 (OT 0,475% 18out2030) - cerca de 10 anos - à taxa de juro de 0,329%, inferior à registada em 26 de agosto, de 0,336%, quando foram colocados 800 milhões de euros.

A procura cifrou-se em 2.110 milhões de euros, 2,19 vezes o montante colocado.      

Com maturidade em 15 de fevereiro de 2045 (OT 4,1% 15fev2045) - cerca de 25 anos -, Portugal colocou ainda 247 milhões de euros à taxa de juro de 1,045%, inferior à registada no anterior leilão comparável, em 10 de julho de 2019, quando foram colocados 270 milhões de euros em OT à taxa de juro de 1,426%.

A procura atingiu cerca de 842 milhões de euros, 3,41 vezes o montante colocado.

Portugal colocou mil milhões de euros em dívida a 8 e 17 anos, no prazo mais curto a juros negativos

Portugal colocou esta quarta-feira 1.000 milhões de euros, montante máximo indicativo, em Obrigações do Tesouro (OT) a cerca de oito e 17 anos, a juros negativos no prazo mais curto, foi esta quarta-feira anunciado.

Segundo a página do IGCP, que gere a dívida pública, na agência Bloomberg, foram colocados 654 milhões de euros em OT com maturidade em 17 de outubro de 2028 (cerca de oito anos) à taxa de juro de -0,085%.

A procura cifrou-se em 1.546 milhões de euros, 2,36 vezes o montante colocado.

Com maturidade em 15 de abril de 2037 (cerca de 17 anos), Portugal colocou 346 milhões de euros à taxa de juro de 0,472%.

A procura atingiu hoje cerca de 793 milhões de euros, 2,29 vezes o montante colocado.

/ HCL