A Portugal Telecom rejeitou a oferta de 5,7 mil milhões da Telefónica para comprar 50% da Vivo, revela a empresa em comunicado, enviado à CMVM esta segunda-feira à noite.

A Vivo, «operadora líder no mercado móvel no Brasil» é detida pela Brasicel, empresa partilhada em partes iguais pela PT e pela Telefónica.

Telefónica penaliza quase 6%

Governo fala da oferta da Telefónica em «sede própria»

Depois de reunido o Conselho de Administração, a oferta foi «rejeitada por unanimidade».

Telefónica «desapontada» com rejeição da PT

Veja as justificações de Zeinal Bava

A empresa liderada por Zeinal Bava explica esta rejeição, com o facto da Vivo ser «um activo essencial para a estratégia da PT e a venda dessa participação iria contra as perspectivas de crescimento a longo prazo da PT».

A operadora portuguesa reitera assim a intenção de permanecer no Brasil.

PT brilha em bolsa

A esta hora, os analistas começam a reagir a este anúncio. O Credit Suisse e o UBS são unânimes em considerar que, depois desta rejeição, um dos cenários em aberto é a Telefónica lançar uma OPA sobre a totalidade da Portugal Telecom, cita a imprensa esta manhã.

Para o UBS, existem quatro cenários para o desfecho desta operação. Um deles passa pela Telefónica lançar uma oferta total sobre a Portugal Telecom.

Já para o Crédit Suisse só há duas «saídas»: aumentar a oferta pela Vivo ou lançar uma OPA à PT.

No entanto, analistas espanhóis consideram «excessiva» e «prejudicial» para as contas da Telefónica a oferta que a operadora espanhola fez à PT pela Vivo, justificando que a operadora brasileira está avaliada em mais do dobro da sua capitalização bolsista.

Esta terça-feira, as acções da PT destacam-se na bolsa de Lisboa: meia hora depois do arranque da sessão já haviam sido negociadas cinco milhões de títulos, a subir 12,81% para os 8,02 euros.

Oferta da Telefónica à PT é «excessiva» para Telefónica

[Notícia actualizada às 11:30 com posição de analistas]
Redação / MD