As acções da dona do BlackBerry estão a cair 0,52 por cento, para os 15,19 dólares, perto do valor mais baixo da sessão, após os rumores de que a empresa poderá nomear um novo presidente.

Os títulos da Research in Motion (RIM) atingiram máximos há apenas duas semanas. No entanto, as notícias de substituição do presidente do conselho de administração está a agitar as águas.

Os investidores reclamam uma mudança de liderança na Research in Motion, depois de 2011 ter sido um ano «duro», com interrupções no fornecimento de serviços entre telemóveis da BlackBerry, atrasos e vendas abaixo do esperado.

Por isso, a primeira reacção na bolsa foi uma subida das acções da RIM. Uma tendência que já inverteu.

Segundo as notícias avançadas pelo «National Post», que não identifica a fonte, Barbara Stymiest, directora da RIM e antiga responsável pelas operações do Royal Bank of Canada, pode ser um dos nomes para assumir a presidência da tecnológica.

Um comité independente de directores está a analisar a estrutura de liderança da RIM e as conclusões deverão ser divulgadas a 31 de Janeiro, segundo a porta-voz da RIM Marisa Conway.

A RIM enfrenta a pressão dos investidores liderados pela Northwest & Ethical Investments LP para que nomeie um presidente independente para o conselho de administração, papel que tem sido desempenhado e partilhado pelos presidentes executivos Jim Balsillie e Mike Lazaaridis, para que haja novas ideias na empresa.

Novo BlackBerry tem problemas

A Research In Motion, com sede em Waterloo, Ontário, tem vindo a perder quota de mercado para a Apple e Google, depois dos modelos introduzidos em 2011 terem falhado as metas de vendas.

Além disso, a empresa está também sob o foco dos analistas. Quando a RIM anunciou, em Dezembro, que a sua nova gama de telemóveis BlackBerry só iria surgir no final deste ano, o impacto junto dos analistas foi de «choque» e «descrença», já que os novos smartphones são vitais para a recuperação da queda da quota de mercado que a empresa tem registado na América do Norte.

Os analistas criticam ainda que, tanto os novos telemóveis, como o novo sistema operativo da RIM, o BlackBerry 10, têm problemas de desempenho, razão pela qual o projecto está atrasado.

A RIM escusou-se a identificar as características do novo microprocessador e a comentar directamente os problemas de desenvolvimento do BlackBerry 10 ou a duração da bateria nos novos dispositivos.

Reflexo destes problemas é a queda das acções da RIM: perderam 8% face ao desempenho do mês passado e já desvalorizam quase 73% quando comparado com há um ano.
Redação / RL