O défice das contas públicas sofreu um agravamento significativo, em abril. Agravou-se em 165 milhões de euros até abril deste ano, relativamente a igual período do ano passado. O défice está agora em 2.022 milhões de euros em contabilidade pública.

A penalizar as contas públicas esteve o IRS automático, que este ano foi alargado a mais agregados e que acelerou o número de reembolsos feitos neste período.

A informação é avançada pelo Ministério das Finanças, em comunicado enviado esta tarde às redações.

Segundo o Governo, o agravamento do défice é explicado por um crescimento de 4,1% da despesa, que foi superior ao aumento de 3,8% da receita.

No mesmo período, o excedente primário ascendeu a 1.474 milhões de euros, tendo aumentado 418 milhões relativamente a 2017", pode ler-se no comunicado.