As medidas de austeridade anunciadas por Passos Coelho no debate do programa de Governo já foram «tomadas em conta» na análise que a Moody's fez e que resultou na queda do «rating» português, avançou o vice-presidente da agência.

«O consenso político e as medidas recentemente anunciadas pelo Governo foram tomadas em conta», adiantou Anthony Thomas, analista sénior de risco soberano da agência de notação Moody's.

Segundo o também vice-presidente da agência de «rating», estes dois factores não foram suficientes para evitar os «riscos de deterioração», pelo que a Moody's considera que «o rating de Portugal está mais apropriado em Ba2».

A agência de notação Moody's anunciou ontem que cortou em quatro níveis o «rating» de Portugal, colocando a dívida do país na categoria de «lixo» (junk).

Em reacção a esta decisão, o ministério das Finanças considerou que esta agência «ignorou» a sobretaxa extraordinária em sede de IRS e «não terá tido» em devida conta o «amplo consenso político que suporta a execução das medidas acordadas com a troika». Uma posição que hoje foi desmentida pela agência.
Redação / CPS