Pardal Henriques reagiu, esta quarta-feira, à notícia que aponta que o Ministério Público terá pedido dissolução do sindicato de matérias perigosas, dizendo que o nenhum órgão foi notificado sobre a matéria.

Para além disto, afirmou que esta medida aponta para "um ataque claro a quem se insurge contra a corrupção, a fraude fiscal e os baixos salários”, garantindo que "não existe memória de um sindicato ter sido tão atacado como este".

O advogado do SNMMP acrescentou ainda que nunca foi notificado também sobre quaisquer "hipotéticos processos" contra o próprio ou o sindicato. "Não é habitual, porque normalmente os visados são notificados”, disse.

Não há nenhuma irregularidade. Nada do que foi feito é contra os estatutos, aliás, assim sendo, teria de ser anteriormente notificado”, sublinhou, acrescentando que a questão só foi levantada depois da greve e do novo pré-aviso de greve, porque, na sua opinião "este sindicato incomoda muita gente".

Caso o sindicato seja dissolvido, terá de cair o pré-aviso de greve, com data marcada para 7 de setembro.